A Tática de Vitimização de Marina e Neca Setúbal.

Marina e Neca são vítimas? Uma tática que não combina com elas.
Marina e Neca são vítimas? Uma tática que não combina com elas. ( foto: Pragmatismo Político)

“Religionum animum nodis exsoluere pergo” (esforço-me por libertar o espírito dos nós das superstições – Tito Lucrécio Caro (De Rerum Natura, I, 932)

O centro do embate com Marina/Neca Setúbal e outros menos afortunados é a Luta de Classes, é a POLÍTICA de Classes, Não o messianismo tosco. Esta coisa mística, mistificadora, de gurus e salvadores da pátria já deu, nem os “milenaristas” acreditam mais nestas bobagens, aliás, sobre isto já escrevi aqui o texto O Messianismo Barato Ameaça a Democracia. Esta coisa de ficar se escondendo atrás de uma imagem de “fragilidade”, de “coitadinha” , para mim, é o pior debate para o Brasil, pois esconde o programa real e o que Marina realmente defende.

Tem mais, quem vem para a Arena eleitoral não pode ficar se achando acima do bem e do mal, como Marina e agora Neca Setúbal, tentam fazer, a questão não é pessoal, é POLÍTICA, não é de gênero, mas de ideias Políticas e econômicas. Estamos numa disputa eleitoral para a Presidência da República, não para canonização, ou “elevação” cármica, o debate e o combate é de ideias, viu, Marina/Neca e seus acólitos? O que se busca é expor as contradições entre palavras e atos, entre propostas vazias e o mundo real, jogar luzes na escuridão das superstições e embustes.

Pois fica muito engraçado, a agora “Educadora” Neca Setúbal, a menos de 20 dias, deu longa entrevista ao @UOL ( Entrevista de Neca), não como tal (Educadora), mas como líder do programa econômico de Marina e estava falando sobre Economia, Juros, BC Independente, mas agora é SÓ Educadora? Do meu lado, de como penso a política, pouco ou nada me interessa se Neca Setúbal vai à sede do Itaú ou não, o que realmente me preocupa é o tipo de Economia e Política que ela defende.

Ora, não sejamos tolos, o compromisso de Marina com o BC independente, pode não ser por conta de Neca, mas a questão é: por que foi ela quem primeiro vocalizou a ideia? Quando o debate se estabeleceu e perceberam que “pegou mal”, pois a triste proposta foi apresentada por Neca, que por uma infeliz coincidência é também é Herdeira do Itaú, o mesmo banco que vem se batendo a anos com Dilma. Entretanto, agora, querem nos fazer crer que Neca é apenas uma “Educadora? Se é assim, por que foi ela a anunciar o projeto econômico de Marina, em especial a questão da independência do BC?

Constantemente Marina ataca o governo federal, falando de corrupção, de que o país vive um caos, de que não entraria em acordos para montar bancada no Parlamento. Faz críticas a tudo e a todos, mas se lhe apontam contradições em suas palavras e no seu “programa” (em constante revisão), logo vem à coisa da vítima da sordidez dos políticos, de que usam de preconceito contra ela.

 Que estão criando “medo” ou “terror” contra sua candidatura, quando na verdade apenas se debate o conteúdo daquilo que ela defende. Ou seja, ela pode falar o que quiser, mas não pode ser questionada? Assumiu a divindade, a infalibilidade “papal”?

Agora se fazem de vítimas? Marina, Neca, com muito mimimi, melindradas, cheias de não me toques, francamente, como se diz no popular: se não aguentam a “brincadeira”, por que desceram para o Play???

2 thoughts on “A Tática de Vitimização de Marina e Neca Setúbal.”

  1. Nāo cabem aspas em “educadora” para qualificar Neca Setúbal.Ela é mesmo, e das boas. E ten uma instituiçāo respeitabilísdima (o CENPEC). Agora, se ela vai ferrar a economia, se a Marina tá sendo pau-manado dela, é outra coisa. E com isso eu nada tenho, porque nāo vot em Marina. Mas isso nāo desqualifica a Neca como educadora, nāo.

    1. Carlos Emílio,

      As aspas estão no contexto da polêmica, quando Neca Setúbal deu a entrevista ao Portal Uol ela não se apresentou como Educadora, mas como a coordenadora do programa econômico de Marina, toda o debate foi centrado nisto, ela não refutou na entrevista sua posição e importância. O problema é que o tema ganhou mais relevo por ela ser herdeira do Itaú e parte interessada, sem dúvida, na tal “independência” do BC. Depois começa este jogo, que ela é apenas “Educadora”, não, não é. Mas, como deixo claro no texto, é como eu vejo.

      Obrigado pelo comentário,

      Arnobio

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: