“Como o fora a princípio, ó sacra Onipotência, teu sol é hoje ainda enigma, assombro, encanto” (Fausto – Goethe) É bem certo que o tempo que me resta será menor do que o tempo já vivido, como também é inexorável que no tempo porvir, a saúde será mais debilitada do […]

“Que ditosa ilusão, supor que ao homem seja dado emergir do mar dos erros! O que é mister saber, ninguém no atinge, e o que se alcança para nada presta” (Fausto – Goethe) Sim, agora tudo ou nada, pouco importa. A fase de tensão da alma do que não se […]

3

“Trais pra mim vãs brividade Qui eu quero matá a sôdade Fais tempo qui fui na fêra Ai sôdade…” (O pedido – Elomar) A densa névoa abraçou a fria São Paulo, a paisagem de prédios e avenidas e marginal era branca-cinza, o ar da cidade está estranho, assim como o […]

2

“Vou desfazer a caligem que os olhos brilhantes te cobre que distinguir facilmente consigas os deuses e os homens. Não te aventures jamais a lutar contra os deuses eternos” (Ilíada, V, 127-129, Homero) Voltei a escrever de forma frenética, espremido pelo momento trágico (ou cômico) que ameaça o Brasil, valho-me […]

1

“Os sonhos que hão de vir no sono da morte Quando tivermos escapado ao tumulto vital Nos obrigam a hesitar: e é essa reflexão Que dá à desventura uma vida tão longa”. (Hamlet – W. Shakespeare) Certeza que já falei sobre isso, mas não custará repetir: Só a literatura nos […]

  “Deus me acuda! A arte é longa, a vida breve.” (Fausto- Goethe)  Parece-me que não há coincidência no uso dos versos de Goethe, na música de Tom Jobim, o que no fundo um gênio referência e reverência ao outro. E como hoje é sexta e é dia de música, […]

2

  “Vai-se-me em névoa o mundo. Emanações subtis que exalais, vem tornar-me aos anos juvenis. Que imagens que trazeis de dias tão risonhos!… Caras sombras! sois vós? aéreas como em sonhos?” (Fausto – Goethe)   Ontem, no Facebook, li uma frase que foi difícil de digerir, de tão dura e […]

    “Como estes crendeirões esperam sempre! Fossam na terra, à cata de um tesoiro, dão co’uma vil minhoca, e ficam pagos!” (Fausto – Goethe) Esta semana procuramos levar de volta ao centro desta série sobre a  Crise 2.0, a questão da Alemanha, que é o poder e o limite do […]