“Amanhã, e amanhã, e amanhã Arrastam-se nesse passo miúdo dia após dia Para a última sílaba do tempo narrado; A nós tolos, todos esses ontens iluminaram O caminho para o pó da morte. Apaga, apaga, lume passageiro” (Macbeth – WS) O que a vida reserva a cada um de nós? […]

“Só deixei no cais a multidão, A terra dos mortais, A confusão, Navego sem farol, sem agonia… distante;” (O Navio – Madredeus) Como exigir um mundo perfeito e cheio de luz, felicidade e alegria, se ele é composto por 99,99999% de pessoas absolutamente comuns, medíocres? Esse é mesmo número de […]

1

“Olho atrás, e procuro os companheiros: Todos lassos e em dor me abandonaram, Despenhando-se em terra ou sobre as chamas”. (Eneida – Virgílio) Parece inevitável que de vez em quando retome, aqui no blog (como também o faça na vida) temas incômodos, principalmente nesses tempos sombrios. Talvez, entre estes (temas), […]

“Adeus, ó livros, da sapiência fontes! Adeus, ó grande livro do Universo!” (Paraíso Perdido – John Milton) Duas semanas de violentas pancadas políticas, daquelas que reduzem suas “ilusões a pó”, que me tiraram do prumo. Felizmente a literatura cura nossos males, aí comecei a ler Hereges, de Leonardo Padura, aquele […]

“Pastores que habitais os campos (. . .) sabemos relatar ficções muito semelhantes à realidade, mas, quando o queremos, sabemos também proclamar verdades”. (Teogonia – Hesíodo) Nestes tempos terríveis que as Trevas se aproximam de forma irresistível e ameaçam a civilização, a sociedade da informação parece namorar com a Idade […]

2

“Do homem primeiro canta, empírea Musa, A rebeldia — e o fruto, que, vedado, Com seu mortal sabor nos trouxe ao Mundo A morte e todo o mal na perda do Éden” ( Paraíso Perdido, John Milton)   Ando tão desconfiado de tudo ultimamente, particularmente das pessoas que não têm […]