2022, é Luta e LULA!


Lula é de novo a esperança para o Brasil voltar a ser feliz.

“Estamos perdidos, se ao mal antigo juntamos um novo, antes de aquele ter murchado.” (Medéia  – Eurípedes)

Os números do desastre do mundo do trabalho e do emprego no Brasil, revelam o tamanho da tragédia humana, uma bomba relógio prestes a explodir: 54% dos empregos são informais, sem carteira assinada, 22% são trabalhos precarizados, mesmo com carteira, 60% da população está passando fome, em estado de miséria, em 2021, se chegou ao menor nível salarial em 9 anos.

Brasil era o país do crescimento econômico, emprego e renda, com maior índice de carteira assinada, desabou vertiginosamente em 5 anos e meio. A senha para a queda foi o GOLPE de 2016, essa realidade é insofismável, ainda que o Governo Dilma II fosse claudicante, especialmente 2015 com o erro de chamar Joaquim Levy para o comando da Economia, nada se compara ao desastre pós-golpe.

A missiva de Temer “Ponte para o Futuro” trazia em essência o plano do ultraliberalismo para o Brasil, ali havia o compromisso de praticamente acabar a CLT, os direitos trabalhistas, sociais e previdenciários, vendido como a forma de aumentar a “empregabilidade” e combater o (falso) déficit da previdência pública.

Houve um enorme esforço do Grande Capital para desmontar a experiência petista de ter feito governos voltados para o Social, com várias políticas públicas de inclusão social e econômica, sem mexer no essencial do Poder Econômico, ao contrário, poucas vezes na história do Brasil, a Burguesia ganhou tanto, quanto nos governos Lula I, II e Dilma I.

A questão é que essa experiência não se coadunava com o lugar reservado ao Brasil no cenário econômico mundial, a soberania e os arroubos desenvolvimentista, não combinavam com a política Ultraliberal praticada no mundo pelo setor que comanda o Capital, a minúscula casta do Capital Financeiro e especulativo mundial.

A realidade pós-2008 era sombria, não era possível governos independentes ou que travassem o maior ajuste do Capitalismo, desde 1929, e sem guerra generalizada. Os momentos de protagonismo do Brasil no mundo, estão fadados a serem lembrados como algo inusitado, numa época bem determinada, pois o tamanho do rombo deixado por Temer-Bolsonaro, serão décadas para reconstrução do Brasil.

É preciso ainda lembrar que a Burguesia que usou Temer-Bolsonaro, não abrirá mão de um governo próprio, nada garante que Lula efetivamente vença em 2022.

É melhor descer do salto alto, a luta será tremenda, não se pode se iludir com pesquisas há um ano do pleito, numa país devastado e polarizado vítima das fake news que sempre a Globo produziu e seus sócios minoritários, Folha de S.Paulo e Estadão (hoje um tabloide) , a  elas se somaram as novas fake news de Bolsonaro e Moro.

Muito água ainda irá rolar, os acordos com setores do Capital, local, serão impostos para uma aceitação de um provável governo Lula III, com dificuldades extremas, uma Constituição esfacelada, instituições desmoralizada e tomadas por milicos e/ou pela extrema-direita religiosa, com políticas de congelamento de orçamento e investimentos públicos por 20 anos.

Sem uma base forte no congresso e sem a mobilização do sobrou as entidades da sociedade civil, dificilmente um governo de coalizão ser sustentará por muito tempo. É essa a dura realidade, todos os esforços devem ser olvidados para garantir um movimento nacional que possa mudar os rumos da barbárie presente.

2022, é Luta e Lula!!!

 Save as PDF

Deixe uma resposta

Related Post

%d blogueiros gostam disto: