Crise 2.0: #14N – Primeiras Notas da Greve Geral

 

#14N : Greve Geral na Europa Foto : El País

 

A grande jornada de lutas e protestos por toda Europa chamada por sindicatos, organizações sociais e políticas culmina hoje com a Greve Geral no denominado #14N, já falado aqui, na série sobre a Crise 2.0, no post Crise 2.0: 14N – Greve Geral. Hoje, pelo 12 países, houve adesão aos protestos, com maior participação na Espanha e Portugal, não por acaso dois dos mais atingindo pela crise.

Os protestos iniciados ainda na madrugada de hoje, está sendo reprimido de forma violenta, em especial na Espanha, o balanço das 11 da manhã de lá, dava conta de 57 presos e 14 feridos em hospitais. As fotos do El País demonstram que o governo da extrema-direita, não tem dinheiro para Educação, Saúde, mas sobra para forças de repressão e ajuda ao banqueiros, esta tem sido a tônica em todos os protestos.

Madris durante a madrugada - Foto: El País
Madri durante a madrugada – Foto: El País

A reportagem do site Euronews faz um balanço dos protestos agora pela manhã , assim descrita: “Os efeitos da primeira greve geral coordenada na Península Ibérica fazem-se sentir em especial nos sistemas de transportes públicos. Na gare de Atocha, em Madrid, e nas principais cidades espanholas comboios, metro, autocarros cumprem apenas os serviços mínimos. Mais de 600 voos foram cancelados.

Na Bélgica, respondeu-se ao apelo da Confederação Europeia de Sindicatos e o sistema ferroviário paralisou. Para um representante sindical, “austeridade significa cortes nos serviços públicos. A austeridade conduz à recessão e agrava a crise”. Em Portugal, o metro de Lisboa parou à meia-noite e só volta a circular amanhã. À parte dos serviços mínimos obrigatórios, seja nos caminhos-de-ferro, nas estradas ou na água, os transportes públicos estão paralisados. O tráfego aéreo também está a ser bastante perturbado. Só a TAP cancelou cerca de metade dos 360 voos previstos para hoje.” ( Greve na Europa – EuroNews )

Neste outro link há uma matéria mais longa sobre o #14N, feita pelo EuroNews ( #14N via EuroNews ) , que é bem sintetizada na voz do sindicalista português: “Eles vão escondendo as contas. Eles não estão a dar uma imagem real de cada país porque a Alemanha e a França também têm problemas. Isto vai ser como um vírus que vai espalhar-se por toda a Europa e não sei quando o euro vai aguentar”.

0 thoughts on “Crise 2.0: #14N – Primeiras Notas da Greve Geral”

  1. Há um golpe de estado em andamento no Brasil. Caso ele tenha sucesso, o governo golpista aplicará, em nosso país, a mesma política econômica que está afundando a Europa. Se isso ocorrer, o Brasil voltará a ser “o país do futuro”.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: