Macbeth

 

Claudio Fontana e Marcello Antony, casal Macbeth - Foto: João Caldas

 

Ontem fui ao teatro com minha irmã e meu cunhado, demoramos a escolher, mas no final acertamos em cheio, a peça Macbeth, o Trono de Sangue, tradução de Marcos Daud e uma versão do diretor Gabriel Vilela, com elenco encabeçado por Marcello Antony. Uma bela surpresa, texto enxuto, um cenário simples, pois ali se privilegiou a palavra, o texto. Aliás a representação é quase uma leitura em voz alta, com um visual e figurinos adequados e ótimos atores, 8 no total, em múltiplos papeis, com extrema competência e beleza.

 

Como já fiz minha leitura da peça, visão literária, no post Macbeth: Trono de Sangue, pouco vou me ater ao texto, ali diz bem o que penso e o impacto que a obra de Shakespeare causou em mim. Considero entre as cinco melhores obras dele, e um do melhores livro que já li, constantemente volto a leitura, buscando raízes e entendimento sobre algumas facetas do ser humano. Neste aspecto, ao assistir a representação, reforçou esta visão de como Macbeth é humano, extremamente próximo de nós, dos nossos desejos, ambições. Claro, ele vai até o fim naquilo que almeja, as aparições, poderia ser apenas criação de uma alma atormentada pelas guerras e o desejo de vitórias.

 

A encenação, muito fiel ao espírito da época, traz apenas homens, mesmo os papeis femininos, um dos mais fortes de toda literatura, Lady Macbeth, encontra em Claudio Fontana, uma força e intensidade incríveis. Os conflitos éticos e morais, que fragilizam Macbeth, com grande interpretação de Marcello Antony são ponto alto. A construção das imagens e alterações de ânimos do casal enlouquecidos pela ambição, numa tensão entre ator/personagem pode-se sentir ali de onde se assiste. A tensão causada pelo ambiente de mortes, traições, são quebrados pelas bruxas, criação do atormentado Macbeth.

 

A sobriedade do cenário ajuda a fluir e permite que cada ator exerça seu ofício plenamente, o olhar perdido num espaço vazio de Macbeth, depois de Lady Macbeth, é a percepção exata de eles se alienaram de si, tornando-se outros, todo o outro lado deles(e de nós) saltam aos olhos. A condução e escolha dos trechos mais densos, concentrando o que há de dor da alma, foi perfeita, um ator/coro, quase a ler/participar, alinhava as várias cenas e lugares, leva, mesmo aos leigos em Shakespeare ao ponto exato da sua proposta.

 

Saímos do Teatro quase em silêncio, apenas repetindo como foi genial a peça, de como os atores valorizaram o texto, tudo na exata medida, sem mais nem menos. Como ressaltei, o convite maior que a representação faz, em quem ainda não leu a obra, é ir urgentemente conferir, ler e se alimentar mais do se ouviu de forma concentrada. Ao chegar em casa, como tenho umas três versões das principais peças do bardo inglês, dei de presente aos meus queridos convidados, espero que se deliciem com o texto integral.

 

Para quem quiser ler aqui : macbeth

 

MACBETH

Imagem do Evento

Categoria: Teatro 
Gênero: Drama
Local: Teatro VIVO
Cidade: São Paulo/SP 
País: Brasil
Endereço: Avenida Doutor Chucri Zaidan, 860 – Morumbi
Cep: 04583-110

Sextas, 21:30;  Sábados 21:00 e Domingos 19:00

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: