Querida e amada Letícia, O tempo não tem o condão de nos fazer esquecer uma saudade tão intensa e que se renova a cada dia, transformando em dor e uma profunda tristeza. Nas nossas ilusões, de sua mãe, de sua irmã e minhas, continuamos achando que você não se foi, […]

1

O maior castigo de pais que perdem um filho (a), é continuar a viver. É sobreviver com uma dor dilacerante, uma ferida aberta que não cura, não sara, não fecha, os curativos são remendos, ao mesmo tempo, lembram de que são paliativos para uma dor crônica, constante, incômoda e presente, […]

E por você ter sido tão especial, Letícia, sua passagem aqui pela terra foi tão rápida. A questão/afirmação seria apenas uma boa ilusão, quem sabe uma mentira que contamos para nós mesmo, com a ideia para nos confortar, tentar aceitar (ou não) tudo de tão triste que passamos a viver, […]

Por alguns milésimos de segundos vi a Letícia, deitado, entre o sonho e a vontade de vê-la, foi tão rápido e tão real, como todos as viagens oníricas, quase não captamos o que vem, nem curtimos as frações segundos dessas sensações mágicas. Bem, hoje é domingo, ou o que sobrou […]

Querida e amada filha ausente. Lá se foram dois anos e três meses, desde que nos deixastes, não por vontade própria ou nossa, mas como parte do grande  mistério do que é o ciclo da vida, em que não sabemos onde entramos, muito menos quando dele somos arrancados, alguns, bem […]

“Setembro – O mês em que a primavera começa e as flores mais lindas têm o prazer de flore(nas)cer” (Letícia Rocha  – 20/09/1997 a 18/11/2018) Todos os dias da minha vida, enquanto durar, serão marcados pelo dia 18, desde aquele 18.11.18. Letícia é maior do que todos os aforismo e […]

Os meses foram sendo vencidos rapidamente para todos que nos cercam, contraditoriamente, sinto uma certa lentidão da vida que teima não passar, como se fosse para açoitar nossa dor, a nossa saudade aumentar, prologando por minutos e segundo, pois não há um único instante que não pense na Leleka. Hoje […]

Nada a dizer, apenas a imensa saudade, esse buraco fundo aberto no peito. A vida segue sempre porque nada para, por nada e por ninguém. Sonho em claro contigo, nem preciso dormir para te ver. O amor é um sentimento delicado demais para se acabar com a morte, essa brutalidade […]

São 19 meses, mas meu coração parou às 13:41 daquele 18.11.18. Há um coração e um cérebro, paralelos, que me mantém vivo e respirando, uma vida que não é a mesma, uma realidade que me faz continuar, seguir, sabe-se lá para onde. Escrevo aqui para Letícia, para cantar seus feitos, […]

“Hoje só acredito no pulsar das minhas veias E aquela luz que havia, em cada ponto de partida Há muito me deixou” (Noturno – Graco/Caio Sílvio) As horas, os dias, as semanas e os meses vão passando, parecem lentos demais para mim, é como se naquele dia 18 de novembro […]

Haja o que houver Eu estou aqui Haja o que houver Espero por ti Volta no vento O meu amor (Haja que houver – Madredeus) Eu não estou interessado em nenhuma teoria, em nenhuma fantasia, nem no algo mais, afinal ninguém sabe o que eu sofri, pois a saudade é […]

Arquivos