Nada a dizer, apenas a imensa saudade, esse buraco fundo aberto no peito. A vida segue sempre porque nada para, por nada e por ninguém. Sonho em claro contigo, nem preciso dormir para te ver. O amor é um sentimento delicado demais para se acabar com a morte, essa brutalidade […]

São 19 meses, mas meu coração parou às 13:41 daquele 18.11.18. Há um coração e um cérebro, paralelos, que me mantém vivo e respirando, uma vida que não é a mesma, uma realidade que me faz continuar, seguir, sabe-se lá para onde. Escrevo aqui para Letícia, para cantar seus feitos, […]

“Hoje só acredito no pulsar das minhas veias E aquela luz que havia, em cada ponto de partida Há muito me deixou” (Noturno – Graco/Caio Sílvio) As horas, os dias, as semanas e os meses vão passando, parecem lentos demais para mim, é como se naquele dia 18 de novembro […]

Haja o que houver Eu estou aqui Haja o que houver Espero por ti Volta no vento O meu amor (Haja que houver – Madredeus) Eu não estou interessado em nenhuma teoria, em nenhuma fantasia, nem no algo mais, afinal ninguém sabe o que eu sofri, pois a saudade é […]

3

Já vou embora Mas sei que vou voltar Amor não chora Se eu volto é pra ficar (canção da despedida – Geraldo Azevedo e Geraldo Vandré) “Minha pequena Luana, Li no seu perfil do Facebook que “mudou-se para Fortaleza”. Aquilo fez cair a ficha de que realmente você foi de […]

Há pequenas coisas da vida e do cotidiano que se tornam gigantes, quando da ausência, nessa imensa falta que a Letícia me faz, principalmente pela maturidade intelectual que ela tinha atingido, os gostos bem definidos, a capacidade de pensar e discutir, temas mais complexos, tudo nos aproximava muito. Outro dia […]

2

É como se encontra meu coração, minha mente, minha visão, é a cor da minha vida, nada mais, nada a menos. A dureza do chumbo e sua cor estranha tomou conta do meu ser. Anos e anos de uma queda em espiral, de provações terríveis, que abalariam um cristão, um […]

1

“Tua existência é uma noite interminável. Jamais conseguirás fazer-me mal” (Sófocles) Os onze meses passam lentamente, no ritmo de um relógio que teima em não mudar os segundos e minutos, formar novas horar, que comporão os dias, como se quisessem torturar a quem precisa que ele corra, vá mais rápido […]

“Corra não pare, não pense demais Repare essas velas no cais Que a vida é cigana É caravana É pedra de gelo ao sol Degelou teus olhos tão sós Num mar de água clara, clara” (Caravana – Geraldo Azevedo/Alceu Valença) É 18. Mais um, o décimo, desde então. A cada […]

“Todo mundo ama um dia Todo mundo chora Um dia a gente chega E no outro vai embora” (tocando em frente – Almir Sater/Renato Teixeira) Eis que abro o instagram e vejo um conjunto de fotos sobre o dia da (o) irmã (o) postadas por minha filha, Luana, com uma […]